sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Cirinho do Rio Doce


Cirinho Rio Doce e Lobão








Cirinho Rio Doce grava participação em documentário sobre tragédia do Rio Doce e assina trilha musical
A tragédia do Rio Doce, que recebeu milhares de toneladas de dejetos da Mineradora Samarco, há sete meses, ganha documentário de Ernesto Galiotto,um dos mais respeitados ambientalistas brasileiros.
 O cantador Capixaba Cirinho do Rio Doce gravou no último domingo (117/2016) sua participação  em documentário do ambientalista Ernesto Galiotto  sobre a tragédia do Rio Doce. O documentário será exibido em festivais brasileiros e em Berlim,inicialmente.
 É de Cirinho a trilha musical do documentário com a música “ O lamento do Rio Doce e a tragédia de Mariana”. “É uma honra enorme essa participação e isso mostra que estamos no caminho certo,com composições autorais, sem apélos midiáticos ou fazer canção para ser parecer sexy ou engraçado,mas sim exaltando nossas raízes e tradições culturais. Música ruim passa, já a canção cultural  como a que fazemos fica para sempre na história”, disse Cirinho.
 Ernesto Galiotto  vem  fazendo pesquisas e expedições para regiões  do País. Graças a ele e amigos,por exemplo, foi  criado os limites do Parque da Preguiça, que vinha perdendo espaço para a exploração de areia na região dos Lagos,no estado do Rio de Janeiro.
 Já Cirinho do Rio Doce é considerado pela crítica mineira como sendo o maior cantador do Vale do Rio Doce e mantém com a ajuda de amigos e recursos próprios o projeto “ O Canto do Vale do Rio Doce” que já contou com as presenças dos amigos Paulinho Pedra Azul,Pedro Sampaio,Violeiro Chico Lobo e Cláudio Nucci. No dia 24 deste mês o projeto estará em cena de novo em linhares com a presença do amigo Tunai,mo Mata do lago.
  Para esse ano,informa Cirinho, haverá um novo disco, o sexto da carreira,sendo que os arranjos serão do renomado Robertinho do Recife,em seu estúdio,no Rio de Janeiro,  e contará com as presenças de vários artistas cantores que já aceitaram participar do disco,entre eles,o violeiro Chico Lobo.













































Cláudio Nucci e Cirinho Rio Doce juntos no
 tearo Carlos Gomes e Campus/Ifes
O show de Cláudio Nucci  e Cirinho Rio Doce, com as participações da atriz Global Dri Gonçalves e do repentista Nêgo Aboiadô Cabra da Peste do Nordeste,  terá somente 50 ingressos para o público colatinense que podem ser adquiridos no Center Mix, Edifício Galeria Wandereley, no Centro, R$ 30,00. Então, é hora de garantir logo seu ingresso. No teatro Carlos  Gomes, no dia 4, na bilheteria da unidade.
 O  evento, que acontece no Ifes (Escola Agrícola de Itapina), dia 5 de julho, Domingo, às 13 horas, faz parte das comeorações dos 35 anos de Formatura da Primeira Turma de Técnicos em Agripecuária , com as participações dos formandos de 1981 e 1982. A festa começa por volta das 09 hs e contará com churrasco e cerveja geladíssima. ( Pago em separado).
 Cirinho do Rio Doce, nascido em Colatina, é considerado pelaimprensa mineira como sendo o maior cantador do Vale do Rio Doce e tráz para Colatina o Projeto O Canto do Vale do Rio Doce, onde já participaram o violeiro Chico Lobo, Vital Farias e Pedro Sampaio. Cirinho  é autor de váriossucessos como “ Turmalina”, “ Catadora de café”, “ Caboclo Pescador”, entre outros.
 Já Cláudio Nucci é cantor e compositor, nascido em Jundiái , integrou o Boca Livre sendo autor de sucessos como “ Toada”, “ Sapata Velho” e “Quero Quero”. Imperdível e o Diário do Noroeste recomenda.